Neptuno e a crise dos 40 aos 43 anos

Neptuno e a crise dos 40 aos 43 anos

À conversa com o nosso eu interior

A vida vive-se por fases, momentos em que vivenciamos expansão outras em que vivemos insatisfação,

perdas ou dor, esta dá-se quando em comparativo com alguma situação, bem como quando comparamos o que imaginamos para nós, e onde realmente estamos!

Existem épocas na vida que quando comparamos o que imaginamos com o que realmente temos, ficamos frustrados e a vida pode deixar de fazer sentido, podemos ficar deprimidos, tristes, vazios de conteúdo, como que se aquilo que tivéssemos alcançado em nada se assemelha ao que imaginados, logo a vida deixa de ser fonte de prazer e felicidade.

Vários são os planetas, que provocam estas mudanças, que são responsáveis pelas grandes mudanças, crises nomeadamente Saturno (colhemos o que semeamos), e os transcendentais Urano (mudanças rápidas), Neptuno (a ilusão ou amor incondicional) e Plutão (transformação).

Existem ciclos de sete em sete anos em relação a vários planetas, daí ser tão comum ouvirmos dizer “ a minha vida muda de sete em sete anos”.

Existem ciclos de grande importância Saturno dos 27 aos 30 anos, Plutão entre os 36 e 39 anos e Urano e Neptuno entre os 40 e 42 anos.

Costumo dizer que aos 30 anos começamos a descobrir o nosso propósito de vida (cabeça do dragão), que é quando nos conseguimos distanciar do padrão que os nosso pais nos deram, e começamos a construir o nosso próprio padrão, dos 36 aos 39, temos a transformação de vida, deixamos de ser para passar a ser, plutão entra em grande morte do nosso Ego, e entre os 40 e os 43, temos a desilusão de Neptuno que nos abre o coração para o amor incondicional, fazemos porque queremos, já não somos condicionados, sentimos mais… isto para quem se permitiu aos processos todos de desapego, claro!

O ciclo de Neptuno é aquele que obriga o ser, a colocar-se em causa, tanto interiormente como exteriormente, não que os outros não o façam obviamente, mas hoje vamos falar de Neptuno… Pois foi quando o Virgílio teve então a abertura para a astrologia.

A área de vida onde temos Neptuno, na casa onde calha no nosso mapa astral, é onde se vai dar a grande crise, onde vamos permitir e deixar de controlar a vida, ter uma dissolução de vida, logo uma grande desilusão tudo deixa de fazer sentido, o que causa medo, pois perdemos as nossas convicções e certezas, até aqui inabaláveis…

Eu costumo dizer que a dissolução de Neptuno é uma dor de Alma tão profunda que vai obrigar o fazer uma mudança completa na vida.

As dissoluções de Neptuno são nas mais variadas áreas, divórcios, perda de trabalho, familiares, social, é um vazio existencial que só uma transcendência espiritual nos poderá alimentar… é geralmente nesta altura que procuramos os astros.

Sendo Neptuno o planeta que está ligado ao sonho, às ilusões à espiritualidade, vamos vivenciar em simultâneo uma crise dos nossos valores, daquilo em que acreditamos, e uma busca da verdade da vida, altura em que começamos a ser seres menos materiais e mais espirituais.

Related Articles